José Pancetti

Campinas, SP, 1902 – Rio de Janeiro, RJ, 1958


Marinheiro, Pancetti começa sua obra nos momentos de folga ou solidão em alto-mar e o convívio com o mar, aliado ao seu talento e dedicação à pintura, colocam o artista entre os mais importantes pintores modernos de marinhas do Brasil. As composições de Pancetti - sejam paisagens marítimas, naturezas-mortas, retratos ou cenas urbanas – são caracterizadas por enquadramentos inesperados, em perspectiva aérea ou com cortes em ângulos diagonais.


Educado na Itália, trabalhou como aprendiz em marcenarias e fábricas até os 17 anos, quando ingressa na marinha mercante italiana. Em 1920, volta para o Brasil e dois anos depois se alista na marinha de guerra brasileira onde permanece por mais de vinte anos. Em 1933, integra o Núcleo Bernardelli* e recebe orientação principalmente do pintor polonês Bruno Lechowski (1887 - 1941).


*Núcleo Bernardelli – Atuante entre 1931 e 1947, este grupo carioca consistia na reunião de artistas para desenhar com modelo vivo e praticar sessões de pintura ao ar livre. Lutava pela melhoria do ensino na Escola Nacional de Belas-Artes e a abertura do Salão Nacional de Belas-Artes aos jovens. Formado por Edson Motta (1910-1981), Bruno Lechowski (1887-1941), José Pancetti (1902-1958), Milton Dacosta (1915-1988), Yoshiya Takaoka (1909-1978), Yuji Tamaki (1916-1979), Joaquim Tenreiro (1906-1992), Manoel Santiago (1897-1987), entre outos.

Sem título

Sem título 

Óleo sobre tela 

38 x 46 cm 

1945