Amílcar de Castro - Artista | Almeida & Dale

Amílcar de Castro

Paraisópolis – Minas Gerais, 1920 Belo Horizonte – Minas Gerais, 2002

Um mestre de composições sóbrias e elegantes, Amílcar de Castro trabalhou com variações mínimas, vindas de formas elementares e poucas cores. A maior parte de suas gravuras, desenhos e monótipos fazem uso apenas da cor preta, e em suas esculturas, as chapas de metal não são pintadas, e sim coloridas pela oxidação dos metais. Apesar da sua forte ligação com o construtivismo brasileiro, seus trabalhos não exibem o racionalismo estrito do movimento. Suas esculturas, muitas das quais são resultados de cortes e dobras em chapas de metal, frequentemente revelam os processos intuitivos gerados pelos golpes diretos no material.

Amílcar participou da primeira exposição de Arte Neoconcreta no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ) em 1959, e em diversas edição da Bienal Internacional de São Paulo, teve diversas exposições dedicadas ao seu trabalho nos Estados Unidos e na Europa e seus trabalhos são exibidos nos museus e institutos mais importantes do Brasil.

As esculturas de Amílcar de Castro podem ser encontradas em jardins de esculturas como o da Pinacoteca de São Paulo, no MAM/SP e em Inhotim, em Minas Gerais. Um artista indispensável em acervos de museus brasileiros, os trabalhos de Amílcar de Castro também tomam parte do acervo de importantes museus internacionais, como o Museum of Modern Art (MoMA) nos Estados Unidos.

Escultura de Corte e Dobra Quadrada, 1998

aço SAC41
21 x 21 x 0,3 cm

Escultura de Corte e Dobra Quadrada, 1998

aço SAC41
21 x 21 x 0,3 cm

Escultura de corte, 1998

madeira (tríptico)
47 x 48 x 15,7 cm (1/3)
47 x 71,5 x 15,7 cm (2/3)
47 x 48 x 15,7 cm (3/3)

Escultura de corte, 1998

madeira (tríptico)
47 x 48 x 15,7 cm (1/3)
47 x 71,5 x 15,7 cm (2/3)
47 x 48 x 15,7 cm (3/3)

Segunda a sexta-feira das 10h às 18h
Sábado das 11h às 16h
Exceto feriados

+55 11 3882 7120
galeria@almeidaedale.com.br

Rua Caconde, 152 – 01425–010
São Paulo – SP